Olossato

Torre abrigo com vista para a pista de aviação.

Vista do exterior.

Abrigo das peças de artilharia – obus 8,8. No centro ao fundo vê-se o que era o Posto Médico Sanitário, antes da guerra.

A chegada do helicóptero era sempre um “ronco” quer para o bem quer para o mal.

Em fila os miúdos aguardam a distribuição de àgua potável transportada pelo Unimog.

Efeitos de uma mina na estrutura da ponte…fora o resto.

Aqui o campo da bola, a balisa, uma torre e a reconstrução permanente dos abrigos devido à sua natural destruição pelas águas e insectos vorazes.

O antigo Posto Médico Sanitário cravejado de projécteis.

A navegação no Rio Cacheu.  “A vulnerabilidade… era extremamente elevada, transformando o navio e outras embarcações que cruzassem aquela zona em alvos potencialmente fáceis de ser atingidos em emboscadas, muitas vezes ardilosamente montadas.” (Manuel Lena Santos)
[mapa gentilmente enviado por, Manuel Lema Santos, ex-1TEN RN 1965/72, Guiné, LFG “Orion” 66/68]

Vista de pormenor dos abrigos feitos de cibos.

Pontão ainda não totalmente destruído sobre o rio.

Outro pormenor da “muralha” e da torre.

O largo no interior do aquartelamento, ao fundo uma corda com roupa estendida faz supor a entrada para os aposentos.

Pormenor de um obus 8,8, vendo-se ao fundo a tabanca.

A “ponte suspensa” cuja estrutura é feita com os restos de uma viatura.

A poisar para a fotografia vemos uma pequena parte do “ronco” da operação Castor.
Escrito no vaso das flores está “CArt 566”, mas só se vêem os dois últimos algarismos. A 566 foi a construtora deste aquartelamento em 64.

olossatotorre

Grande plano da torre abrigo.
(foto gentilmente enviada por Rui Silva
ex-Furriel mil. da Comp.ª de Caç. 816 – Guiné 1965/67)

olossatodoar

Vista aérea com a pista à esquerda.
(foto gentilmente enviada por Rui Silva
ex-Furriel mil. da Comp.ª de Caç. 816 – Guiné 1965/67)

Uma vista do aquartelamento do Olossato
(foto gentilmente cedida por: Raul Albino, ex-Alf Mil da CCAÇ 2402/BCAÇ 2851, 1968/70)

148 Respostas to “Olossato”

  1. Eduardo Domingues Says:

    Carissimo CAMARADA Henrique Cabral.
    Muito prazer em relembrar o nome do “Furriel Cabral” e muito mais num trabalho de enorme alcance. Quem te recorda é o Ex-Furriel Milº Eduardo Domingues da C.Caç. 816 (1965/1967 Bissorã-Olossato-Mansoa).
    É com enorme satisfação e emocionado que revejo a ponte do Olossato bem como o abrigo, cuja construção teve, com certeza, a minha provável colaboração.
    Revisitei Bissorã e Mansoa. Olossato é para mim a aldeia de eleição pelo facto de ter por lá passado grande parte da comissão da C.Caç.816.
    Prometo voltar em breve e com a minha modesta colaboração acrescentar, dentro do possível, factos mais remotos.

  2. Eduardo Domingues Says:

    Olossato, minha aldeia de eleição da Guiné Bissau. Decorridos que são mais de 43 anos da nossa missão, é raro o dia que não recordo Olossato, por bons e muito maus momentos convividos e vividos.
    Tabanca de gente boa, pacífica, voluntariosa. Lembro com saudade as nossas lavadeiras, nomeadamente a “COSSA”, com as quais nos divertiamos imenso com as nossas “bocas” malandras que todos os que por lá passamos conhecemos.
    Recordo com muita, mesmo muita saudade dois miúdos que foram “apanhados” numa operação pela Caç.816 e posteriormente viviam, cresceram e acarinhamo-los no quartel. Seus nomes “SANA” e “ABDUL”. Que será feito deles?? Gostava de saber.
    Recordo o sabor das mangas, banana e ananaz. Boas coisas!!!
    Entretanto, no dia 1 de Agosto de 1965, o meu saudoso e amigo JOÃO SILVA ficou numa emboscada de 1 morto e 8 feridos na bolanha de Joboiá (estrada Olossato/Farim) no regresso de uma operação de limpeza da estrada do Olossato até ao K3.
    Consequências da guerra.
    Paz à sua alma.

  3. Eduardo Domingues Says:

    Como elemento da C.Caç.816, tive o grato prazer de ser convidado a participar no convívio da C.Art. 566, que decorreu em Vila Nova de Gaia. A C.Art 566 foi a 1ª a instalar-se no Olossato por volta de 1964, o que implicou que tivesse de construir o aquartelamento e respectiva defesa. A “formatura” decorreu no quartel da Serra do Pilar, seguida de missa na capela do Quartel rezada pelo respectivo capelão. De seguida foi depositada uma coroa de flores no monumento aos Mortos do Ultramar, com honras militares. Silêncio sepulcral de meditação por parte de todos os presentes. Grande momento….
    Durante a tarde decorreu o almoço convívio em restaurante local. Alguns discursos carregados de emoção.
    Reconhecimento de grandes amizades, que só os momentos difíceis da vida conseguem eternizar.

  4. Eduardo Domingues Says:

    Novas fotografias publicadas sobre o Olossato estão a aumentar a minha curiosidade. P.F. mandem mais para recordar com pormenor, como sejam a caserna, cantina, messe de oficiais e de Sargentos e tabanca.

  5. Rui Silva Says:

    Caro Henrique:

    Quando “ouço” Olossato logo digo presente(!) e logo fico sensibilizado.
    Porque Olossato foi a terra da 816 durante praticamente 1 ano.
    Porque Olossato era terra de gente humilde, ordeira e indubitavelmente amiga.
    Porque Olossato era, era…
    Obrigado amigo por me “levares” lá.
    Reconheço perfeitamente a maior parte das fotos e vou enviar-te algumas para que Olossato cada vez esteja mais vivo.
    Um abraço
    Rui Silva (ex-Furriel mil. da Comp.ª Caç 816 (Guiné 1965/67)

  6. João Gomes Bonifácio Says:

    Caro Amigo.

    Já por aqui tenho andado, mas só agora é que decidi escrever sobre o Olossato. Também estive nessa aldeia em 1969 e princípios de 1970 como furriel mil. do s.a.m. e da cc 2402/bat2851 sediado em Mansabá.
    Vindo de Co onde estive na primeira parte da minha estadia na Guiné, o Olossato foi como que uma maravilhosa descoberta. Nem tudo era perfeito, mas tudo correu pelo melhor. As fotos que aqui posso ver, algumas ainda me lembro bem delas, embora no ano que lá estive e até ser rendido por uma companhia de cavalaria, estivesse tudo muito limpo e organizado. Eu gostava do nosso bar de oficiais e sargentos. A Cantina era grande e tinha de tudo. A secretaria era grande e com o calor na rua até apetecia estar a trabalhar. A única nota negativa é que a CC que rendemos em meio de 69 não nos deixou muito para comer e tivemos uma vista do Gen Spínola por causa disso. Não sei o que aconteceu, mas ele quando falou comigo estava furioso. Escusado será dizer que no dia seguinte tivemos um avião com mantimentos e a coluna logo na semana a seguir. Gostei do Olossato, tal como gostei de visitar Bissorã.
    Obrigado pela oportunidade de visitar este blogue.

    João Gomes Bonifácio (ex-fur mil do SAM)
    BatCac2851/CC2402- 1968/70

  7. Tony Radiotelegrafista Says:

    Caro amigo agradeço imenso este relembrar do sítio onde passei maus e bons momentos com grandes camaradas meus da C.CAV.3568, Os Fantasmas da Bolanha – 72/74. Bons momentos, éramos uma companhia muito alegre e raro era um camarada que estivesse abatido porque era logo animado pelos outros. Maus momentos, recordo um ataque que sofremos com armas pesadas e ligeiras a poucos metros do arame durante uma hora e dez minutos do lado de Morés (Mansoa) quase com fogo cerrado onde pedimos ajuda à aviação e nada, pedimos munições e nada, o que nos valeu foi termos poupado as munições esperando que eles as gastassem todas e foi assim que aconteceu com a retirada rápida.
    Todos os anos temos um convívio almoço. Bem Haja e um grande obrigado.
    Tony Radiotelegrafista, C.CAV. 3568-Os Fantasmas da Bolanha – Olossato 72/74

  8. Eduardo Domingues Says:

    É NATAL.
    Para todos os ex combatentes da Guiné, nomeadamente Olossato, Bissorã, Mansabá e Mansoa….zona do OIO, e repectivos Guineenses, votos de Festas Felizes.
    2008 foi um grande ano para “alguns” e é nossa responsabilidade fazer com que 2009 seja muito melhor para muitos mais.
    Que todos os projectos se concretizem, que sejamos mais intolerantes que nunca ante a pobreza e a ignorância, são os meus votos para 2009.
    Eduardo Domingues

  9. Joel Viola Pacheco Says:

    Fantasma Toni gostei de ler o teu comentário no qual fazes referência a uma situação muito complicada da qual eu me lembro que foi na noite do dia 10 de Agosto de 1972 aniversário do nosso amigo Tricão da Chamusca. De facto como tu recordas tínhamos uns camaradas muito alegres, éramos como uma família. Gostei imenso de ver as fotos do Olossato e em breve vamos estar juntos em mais um convívio da companhia os Fantasmas da Bolanha. Um abraço do amigo Viola de Peniche.

  10. Manuel Brandão Says:

    Gostei de ver as fotografias cedidas por Rui Silva da Comp.Cac 816.
    Ele esteve no Olossato e quando lá chegou eu já lá estava, já que eles foram substituir a Comp 566.
    Gostaria imenso poder entrar em contacto com o ex-furriel Rui Silva.
    Eu, ex-alferes mil. de artilharia, responsável pelo pelotão de artilharia estacionado em Olossato, para onde fui a 12 de Maio de 1965 e de lá saí em Setembro de 1966.
    Nota: uma pequena correcção, as armas de artilharia não são pecas 11,4, mas sim obus 8,8 e a casa que se vê ao fundo não era a do Chefe de Posto, mas sim a que servia de Posto médico-sanitário antes da guerra.
    Agradecia resposta
    Manuel Brandão

  11. Eduardo Domingues Says:

    Caro companheiro Brandão. É sempre com grande emoção que sentimos o reaparecimento de camaradas de Guerra, sobretudo do mesmo local onde vivemos dias difíceis da nossa juventude. Maior é a satisfação pelo facto de eu, Eduardo Domingues, ex Furriel Milº da 816 e companheiro e amigo do Rui, para além de que quando nos encontramos pelo Porto ou pela Vila da Feira, a conversa começa e acaba sempre no Olossato.
    Naturalmente relembramos muitos camaradas e de entre eles o “Alferes Brandão” comandante do pelotão de Artilharia, peças efectivamente 8,8.
    Relembramos o Brandão que pela memória que nos resta e coincidência era natural de Paços de Brandão???!!!!. Será verdade???. Assim sendo, fácil será de nos encontrarmos pois que o Rui vive na Feira e eu vivo no Porto. Contactos telefónicos e encontros familiares acontecem com certa frequência entre nós desde que viemos da Guiné.
    As fotografias estão fantásticas. É bom recordar.
    Agradecimentos ao Cabral pela iniciativa.
    Se vives aqui pelos arredores facilmente nos podemos encontrar. Será fácil e se o Rui não vir estas mensagens eu falo com ele e combinamos.
    Um abraço
    Eduardo Domingues

  12. Rui Silva Says:

    Caro Manuel Brandão:
    Fiquei muito sensibilizado por teres gostado das minhas fotos neste “site” tão bem elaborado e simpático do nosso amigo Henrique. Mais ainda por te teres lembrado de mim o que fez de imediato lembrar-me muito bem de ti e da tua peculiar e alegre boa disposição.
    Muito obrigado a ti e ao Henrique.
    O “puzzle” começa a remontar-se; os nossos amigos que vão falecendo estão connosco também neste “puzzle”, óvbviamente. Uma palavra de saudade e carinho para estes.
    A Guiné, pese embora os motivos contra-natura, teve o condão de conhecermo-nos e assim alastrar o campo de amigos.
    Ao falar do Olossato não esqueço, assim como naturalmente os camaradas da 816 e do pelotão de Artilharia que tu tão bem comandaste, daquela gente humilde e boa que se viu emparedada numa guerra que eles, pela sua ignorância, eram os primeiros a ficarem incrédulos e os mais sacrificados. Deus proteja o Olossato!
    Brandão até sempre.
    Henrique um abraço.
    Rui Silva

  13. António Costa Says:

    Caros camaradas visitei a vossa pagina e recuei 37 anos a ver estas fotos, e como recordar é viver fiquei com a lágrima no canto do olho.
    Parabéns a todos eu sou António Costa pertenci á C.CAV 2721 esteve em Olossato em 70/71.

    Um abraço deste camarada de Armas

    COSTA

  14. Tony- 1.Cabo Radiotelegrafista Says:

    Gostaria de encontrar camaradas que estiveram comigo nesta companhia para recordar.
    C.CAV. 3568 “Os Fantasmas da Bolanha do Olossato” – Guiné72/74

  15. Tony- 1.Cabo Radiotelegrafista Says:

    Amigo se poderes agradecia a visualização do email, tonico_domingos@msn.com
    Um abraço

  16. Joel Viola Pacheco Says:

    Caro Toni,
    também eu visito este site na esperança de encontrar camaradas nossos mas apenas te encontrei.
    Em 2009 estive na Chamusca no almoço organizado pelo Trincão. Estava lá o Licínio, e disse-me que esteve contigo na Suíça.
    Este ano é o Rodinhas a organizar e será perto de São Martinho do Porto, no mês de Maio lá estarei com os nossos camaradas.
    Com a maioria do pessoal o contacto é só no almoço mas existe aquele grupo composto pelo Silva, o Fernandes, o Trincão e o Cartaxo, os quais eu contacto pelo telefone.

  17. Tony- 1.Cabo Radiotelegrafista Diz: Says:

    Olá amigo Viola.
    Pois é, eu como estou na Suíça só tenho férias em Julho e por isso não posso estar presente. Com muita pena, mas quando aí estou de férias vou várias vezes a Peniche e lembro-me sempre de ti e digo à família, bem vou lá a ver se encontro aqui o Viola, mas olha mandas-me uma msn para mim com os teus contactos.
    Tens aqui visível o meu endereço (tonico_domingos@msn.com) e este ano se for de férias em Julho encontramo-nos em Peniche se lá morares ainda. Pois há dois anos o Trincão, o Bento, o Oliveira, etc, fizeram-me uma festa em casa do Trincão, foi de bradar aos céus, incrível aquela rapaziada, ainda estiveram lá 15 camaradas com as suas famílias.
    Viola gostei imenso do teu contacto, manda-me uma msg para meu endereço sem problema e um grande mas grande abraço do Tony Radiot.
    Bem haja.

  18. lO Abominável Homem das Bolanhas Says:

    Ei pissoal ,manga di ronco ke min tá jubi nu intenet ka mim compra nu loja do libanesa di Mansoa. A mim jubi futugrafia qui bó fala qui Rui fás mas issu é um grande mintira. Rui ka sibi tira foto. Mas u futugrafia tá bunitu. Essi Domingues qui foi rigidor do Pikote e qui faz u guerra nu Guiné mas tmbém pucu tempo ele (Rui tamém) ter muito médu du tiro e pois fala qui tá firido pa ir nu mitrópule. Foi um carraça qie ferra ele junto du parte malcriado e Pikote fala qui é istilhasso dum granada. Mas este pissoal ser muito purreiro como todo militar do 816 e todo o gente du Olossato. E Alfer Brandão omi du caraças. Então ele num amarra pata di porco nu obus qiu tá birado pá ponte pa kuando porco faz medo com ribentamento du granada fogi e faz obus dispara. Omi intiligente. Si alfer Brandão firma mais tempo nu Olossato, a mim sibe qui estaba priparado numeação di ele pa ser gubernador di escola prática do artilharia do Olossato, só qui omi grande du oito dizasseis capitão Riquito, faz um cara feio purque alfer Brandão num é du companhia di ele e nu oitodizasseis ninguém dá um arma a um porco. Bom pessoal, oji a mim cá fala mais du Olossato mas prumete outro dia fala mais e manda futugrafia. Pa toda pissoal manga de mantenha. A mim na bai gosse pripara mais material du foto e du iscrita. Luís

  19. Rui Silva Says:

    Oh (!) quem havia de sair na rifa!!
    Este Luís José, ex-Furriel da 816, grande amigo, e que tem a amizade do ex-Alferes Brandão (por certo) e dos ex-Furriéis Domingues (Picote) e Rui Silva, aqui mencionados, estudou o crioulo bem estudado, pois tinha todo o tempo para isso ou não fosse de Transmissões e até, segundo NEP, não podia ir para o mato por tal especialidade.
    Eu punha as cartucheiras para avançar e ele virava-se para o outro lado para dormir melhor.
    Bom, verdade se diga, que ele oferecia-se diversas vezes para ir no mato.
    Henrique, lembras-te deste cromo?

    Um abraço para todos incluindo a ti caro amigo Henrique.
    Rui Silva

  20. Henrique Says:

    Olá Rui,
    é sempre agradável receber um camarada a recordar pequenas coisas que por vezes estão envoltas no esquecimento.
    Mas basta um click e vem tudo à memória.
    Foi o que aconteceu agora.
    Obrigado Rui,
    Um abraço
    Henrique

  21. lO Abominável Homem das Bolanhas Says:

    Bom dia pissoal. Manga di giro este coisa de iscreve nu intenete manga de chuvas depois de acaba nó guerra. Mas a mim ka esquece u tempo ka mim vive no Guiné. A mim faz um visita nu Olossato fa dez anu e pessaol di tera cunhece mim. Faz pergunta di menino de Morés, de Ruiquito de Castro e otro gente. A mim canta o piriquito bai nu mato e Teresinha quando Angola sàcabar (já ka tem dinheiro pa pudé casar ku mim). Bó ricorda?. Nós bibe água de Lisboa e cume fugaça du Vila da Feira. Faz saudade ricorda u messe du sargento, du oficial (hoji um mercearia). Os casa são us mesmo mas tudo tá um lástima. Gente de Olossato lembra u oitodezasseis e outro companhias. Fala du tempo milhor quando u tropa de nós está lá. Esse é um verdade ka mim olha em todo Guiné ka mim visita desde Catió, Gabú, Farim, Cacheu e outros. O Guiné precisa du nossa ajuda.
    Um abraço
    Luís

  22. lO Abominável Homem das Bolanhas Says:

    Olá Ruisinho.
    Então tu punhas as cartucheiras e o outro virava-se para o outro lado? Sabes porquê? Ele não te queria ver a tremer de coragem. Acho que até era uma boa atitude pois enquanto tremias, o medo ia-se dissipando sem teres um gajo “nepado” a rir-se.
    Um abração.

  23. Jose Machado Says:

    É a primeira vez que venho ao site. Sou o ex-Fur.Mil. Machado, mais conhecido pelo Massinhas, que fez parte da CART 6254 que esteve no Olossato em 1973/1974.
    Fiquei muito sensibilizado com as fotos que vi. Elas fazem-me recordar tempos difíceis que todos nós vivemos, mas ao mesmo tempo muita alegria e saudade da sã camaradagem vivida durante os cerca de 14 meses que a minha companhia esteve no Olossato.
    Após 36 anos vou encontrar-me com os meus colegas da CART 6254 em Espinho, no 2º convívio organizado por ex-colegas.
    Estou muito ânsioso para que chegue esse dia. Vai concerteza ser o dia das recordações e de poder abraçar todos os meus velhos amigos de quem tenho muitas saudades.
    Um abraço,
    José Machado

  24. Olá camaradas, foi com grande prazer e saudade que revi este local, tenho fotos minhas na ponte, nos abrigos etc. Eu fui comandante do 3º pelotão, da 2ª Companhia de Cavalaria do Batalhão 8320/73, alf. mil. Velez, que esteve estacionado no OLOSSATO de Junho a Setembro de 1974.
    Um abraço a todos os meus camaradas, da companhia mas em especial aos do pelotão.

  25. Lobo (Cart 1660) Says:

    Olossato, um mês de permanência da CART 1660, onde fizemos uma operação à temível mata de Morés tendo capturado um guerrilheiro ferido do PAIGC e a sua arma, (costureirinha).
    Esse rapaz ferido acabou por ser enviado para Bissau e curou-se de uma bala no joelho. Acabou por ficar no quartel dos Comandos em Bissau para onde foi transferido e tratado.
    Recordo o aeroporto e a chegada das avionetas com o correio do pessoal, motivo de grandes alegrias.

  26. JOEL VIOLA PACHECO Says:

    Caro José Machado.
    Com certeza que nos cruzamos no OLOSSATO, porque a sua CART6254 foi substituir a minha CCAV3568.
    Li em cima no teu comentário que vais estar no almoço com a rapaziada da 6254, é sempre um dia com significado muito especial, é um dia de família, mas essa vossa segunda família está mais pequena, pelo falecimento do vosso, Capitão EDUARDO DOS ANJOS COSTA , meu amigo e conterrâneo, no dia 7-7-2003.
    FELIZ NATAL a todos os ex COMBATENTES NA GUINÉ.

  27. José António Matias Says:

    Navegando, navegando dei por acaso com este sítio.
    Gostei imenso de saber do Tony.
    E também do Viola, que nos vamos vendo nos almoços anuais.
    Abraços para todos os Fantasmas e votos de Boas Festas.

  28. Tony - Radiot Says:

    Olá Matias tudo bem, já lá vai algum tempinho ou seja à volta de 36 anos que estávamos no Olossato na nossa companhia CCAV3568, companhia dos artistas. Que saudades… bom com muita saudade deixo a minha mensagem aqui nesta página “Rumo a Falacunda”. Temos o nosso amigo Joel Viola e se puderes podes propagar para outros amigos Fantasmas da Bolanha, o meu email e o que fica publicado. Olha, um grande abraço, tudo de bom e Bom Natal de 2010 também extensivo ao amigo Viola e toda companhia da CCAV3568 (um à parte, estou emigrado na Suíça)

  29. José António Matias Says:

    Olá Tony. Já sabia que estavas na Suiça.
    No verão tens que me procurar quando vieres de férias. De Toledo a Santa Cruz, caramba são dois passos. Ou já não tens contacto com a terra?
    Um abraço fantasmagórico.

  30. Tony - Radiot Says:

    Oh amigo Matias Caramba todos os anos estou nessa zona pois o meu cunhado tem casa em Santa Cruz e corro isso tudo desde Santa Cruz até ao Baleal. Está prometido, este ano vou procurar-te. O meu email está publicado em cima senão talvez tenhas o contacto do Joel Viola, ele tem o meu número de telemóvel. Tenho sempre gosto em ver a malta e este ano é prometido. Quanto ao almoço de convívio ainda não sei, depende do trabalho e férias. Vou a ver se arranjo uns 4 dias. Um grande abração amigo Matias cá do filho da máquina a petróleo o Tony Radiot, ah não esquecendo as Boas Festas, Bom Natal e prospero Ano Novo a todos.

  31. José António Matias Says:

    Tony:
    Foi pena realmente não nos termos cruzado aqui por Santa. Eu nos primeiros anos quando ia ao Pão Saloio tinha a esperança de um dia te encontrar, pois recordo que tu ou a tua mulher erm dali. Pois este ano havemos de nos encontrar. Para mais algo aqui te deixo para já o meu email… jamatias5@gmail.com.
    Para alem dos almoços mantenho algum contacto com o Lagartixa, Bento, Trincão, Carlos Lourenço, Elvas, Muge, Rodinhas, Silva Kripto e alguns outros.
    Um abraço e boas festas.

  32. Joel Viola Pacheco Says:

    Amigos TONY, e MATIAS. É bom ver dois “Fantasmas da Bolanha” em contacto , na net , isto faz manter a chama da nossa amizade. Ontem estive ao telefone com o SILVA CRIPTO e com o FERNANDES “Lagartixa”. Ando sempre a pesquisar na esperança de encontrar mais elementos da nossa CCAV 3568. Quando aparece comentários sobre a GUINÉ, digo logo presente, leio tudo. Estou atento , a TABANCA GRANDE e o ENTRE FOGO CRUZADO. Um forte abraço muita saúde e um 2011 repleto de coisas boas, vocês merecem tudo de BOM. O vosso AMIGO VIOLA.

  33. Américo de Sousa Couto Says:

    Estive na Guiné, ida 23-06-74, vinda 15-10-74. Fui de avião e vim no Niassa. Fomos os últimos a abandonar a Guiné, estive no Biambe, integrado na Companhia 8320. Gostava de encontrar colegas para convívios futuros. O meu obrigado.
    Até breve.

  34. Jorge Lobo Says:

    Guiné, o Ex-Vietname africano

    Depois de fazer a recruta em Vila real, a especialidade de artilharia em Penafiel e o IAO no Guincho(Cascais), embarcamos a 7 de Fevereiro de 1967 para a Guiné onde desembarcamos a 11 desse mesmo mês.

    Ao desembarcar em Bissau logo o pessoal da minha companhia sentiu o cheiro típico a terra queimada, aquela terra vermelha típica de terras Africanas.

    Logo após o desembarque recebemos a notícia de que íamos ficar destacados em Mansoa e de seguida alguém nos confidenciou que Mansoa era nem mais nem menos que um local de extremo movimento bélico……..

    Subimos para as viaturas e logo à chegada a essa vila de Mansoa, sentimos-nos tristes e desmoralizados ao ver a alegria do pessoal a quem íamos render e que era a Companhia nº 816 (Lobos do OIO). Os seus elementos encontravam -se sorridentes aos pulos em cima das suas viaturas, tirando as fotos de despedida afim de momentos depois seguirem para Bissau para embarcarem para a metrópole no próprio navio de onde tínhamos desembarcado pouco tempo antes.

    Ficamos adidos ao Batalhão 1857 que actuava nas temíveis zonas de Sarauol, Locher, Changalana, Cobonje e por vezes também em Morés.

    Não foi preciso muito tempo para que o meu pelotão fosse baptizado de fogo.
    Uma semana após, quando fomos em viaturas buscar uma companhia que vinha da mata do Locher, fomos emboscados a cerca de 6 Kms do Jugudul na estrada esta que liga as localidades de Mansoa e Portogol.

    Aqui, tivemos a oportunidade de conhecer finalmente o sabor amargo da guerra, ao ver um ferido pertencente á companhia que tínhamos ido buscar.
    Ao ouvir os primeiros tiros, pensamos que ainda estávamos nos treinos do IOA no Guincho, só passados momentos verificamos que ali, as balas não eram de madeira mas sim de chumbo envolvido em latão….

    Um mês passado, nova emboscada na zona do Alto Namedão, onde um elemento da nossa milícia que ia à frente da coluna, foi atingido por uma roquetada que lhe arrancou o cinto e cartucheiras indo rebentar atrás dele sem lhe causar qualquer ferimento.

    Mais umas 3 semanas e eis que rebenta uma mina na segunda viatura quando íamos a caminho de Portogol. Vários feridos e um nosso furriel morto, que ia ao lado do motorista.

    Um mês depois estávamos no quartel, ouvimos um grande estrondo na estrada Mansoa-Portugol. Vamos de imediato ver o que se passava e deparamos um Unimog destruído com vários pedaços de pernas espalhadas no terreno num raio de 100 metros e ainda com bota calçada. Tinha sido devido a mais uma mina anticarro que tinha rebentado numa viatura da companhia do batalhão onde estávamos agregados. Vários mortos e feridos.

    Uma semana depois, um patrulhamento ao Sarauol. no lado de lá da bolanha, entre Cutiá e Sarauol, o soldado Aradas repara num fio de aço ao lado da picada, fio este que estava ligado a uma granada defensiva. (armadilhada), a qual foi desmontada pelo nosso furriel, Farromba.
    Recordo que para essa operação tinha sido chamado à ultima hora um soldado que não era previsto sair nesse dia. Curiosamente, esse mesmo soldado, que tanto se lamentou por ter sido nomeado para essa operação e que, a caminho do objectivo ia a rezar de terço na mão para que nada de mau lhe acontecesse… foi esse mesmo João o único morto em combate quando a companhia se encontrava estacionada em circulo dentro da mata do Sarauol. Foi atingido por um estilhaço de morteiro 82 que passou por baixo do tronco de uma árvore caída no solo atingindo-lhe a cabeça quando este estava a meu lado deitado atrás do tronco da árvore.

    15 dias depois, fomos até perto do Locher em viatura afim de trazer uma companhia que vinha de uma operação. No momento em que chegávamos ao local onde nos devíamos encontrar com eles, estava ainda essa companhia a fazer fogo sobre o acampamento IN . Minutos depois, essa companhia era emboscada já muito perto do local onde nos encontrávamos à sua espera, altura em que foram por nós ajudados já que estávamos precisamente nas costas do IN, tendo permitido a mim próprio alvejar com sucesso um militar do PAIGC que se encontrava a disparar contra a companhia que vinha do objectivo. Ele estava empoleirado no cimo de uma árvore com uma arma (costureirinha) que não chegámos a capturar porque entretanto a companhia 1686 já estava junta de nós para seguirmos na direcção de Mansoa.

    Uma paragem no caminho para descansar e eis que ; o Aradas, (rambo à portuguesa), olha em frente na picada e vê um grupo IN a cerca de 200 metros saindo da estrada e infiltrando-se na mata. Todos levantamos para continuar a marcha na direcção de Mansoa.
    Sozinho à frente da coluna e a cerca de uns 100 metros de distância do segundo militar da coluna, ele aproximou-se sozinho do local onde os guerrilheiros se tinham emboscado ao lado da estrada.
    Dispara sobre eles provocando de imediato um arraial de fogo dos dois lados das tropas conseguindo o Aradas, minimizar os danos já que desta forma não fomos apanhados de surpresa pelo IN. Mesmo assim tivemos um morto pertencente a uma companhia do Batalhão 1912.

    Após uns seis meses de comissão, calhou-me ir para o destacamento do Jugudul, o qual não possuía abrigos porque se supunha que o inimigo nunca o atacaria por ser uma ex-escola. Mais tarde depois da nossa substituição no Jugudul, este destacamento haveria de ser atacado fazendo vários feridos a quem lá estava destacado e com um morto do lado N do qual falarei mais adiante.

    Do Jugudul fomos destacados para a ponte de Braia por 2 meses e daí voltamos para Mansoa para continuar a parte operacional.
    Estávamos praticamente a meio da comissão.

    De novo em Mansoa, quando certa madrugada o Jugudul era atacado.
    Na manhã seguinte o meu pelotão foi lá fazer o reconhecimento e encontramos o municiador de metralhadora IN deitado no chão morto de costas e enrolado num pente de balas de alto calibre, atrás de um monte de baga-baga.

    Pouco tempo depois, a companhia 1686 pertencente ao batalhão (1912) que entretanto tinha substituído o Batalhão 1650, fez um golpe de mão na mata de Tenha-Locher e no regresso sofreu uma forte emboscada mesmo na bolanha junto do acampamento do que resultaram vários mortos e feridos, tendo lá ficado abandonado morto um soldado milícia que era o melhor guerreiro que tinha esse batalhão.

    Uma semana passada somos acordados por volta da meia noite tendo o nosso capitão dito na formatura que se seguiu, que teriamos de ir destruir por completo o acampamento turra onde uns dias antes tinha havido todos aqueles mortos e feridos, no Locher.

    Foi um problema a nossa saída do quartel. Pertencia ao meu pelotão ir à frente da coluna e, o nosso alferes comandante de pelotão e mais um cabo da minha secção, entraram em pânico e isso provocou que o CMDT de companhia pedisse voluntários para ir à frente sempre que houvesse operações de assalto a casas de mato.
    Acabei por me incluir nesse (voluntariado….).

    Chegamos ao Locher, entramos na mata por volta das 4H30 da madrugada. Seguimos por fora da picada cortando ramos de árvore para conseguirmos passar de forma a evitarmos a sentinela IN,
    Finalmente entramos no acampamento. Estava abandonado de forma que, restou-nos destruir (queimar)as casas de mato. Regressamos ao quartel sem qualquer contacto com o IN.

    Uma semana depois, mais um patrulhamento na zona de Ga Fará já perto de Morés, na operação (estrela do norte). Eu ia em 2º lugar à frente da coluna juntamente com a milicia.Encontramos uma casa de mato com vários guerrilheiros a fugir, disparei atingindo um deles tendo-lhe capturado a sua arma, (Kalasnikov).

    Pouco tempo depois fomos passar cerca de um mês ao Olossato, arredores de Morés.
    Num patrulhamento com emboscada, ferimos um elemento IN capturando-lhe a respectiva arma, sendo esse elemento transferido para Bissau onde foi curado ao joelho ficando por lá como guia das nossas companhias de comando.

    Regressados do Olassato a Mansoa, fizemos um golpe de mão perto de Uaque local onde se acoitava um grupo IN que na altura montava minas anticarro na estrada Mansoa-Bissau.
    O acampamento estava desabitado, pois antes de lá chegarmos o IN já tinha de lá fugido excepto o seu enfermeiro que não tinha tido tempo de fugir com os companheiros e se encontrava a dormir tendo-lhe sido capturada por mim e um soldado milícia a arma e a bolsa de enfermagem.

    mais uma ida à zona do Sará fazer uma emboscada para tentar apanhar na fuga o inimigo que tinha sido surpreendido num golpe de mão por parte da do Batalhão de Mansabá.

    Finalmente o meu pelotão foi destacado para Cutia.
    Numa ida em viaturas a Mansoa, fomos emboscados em Sansanto tendo o Aradas e eu, feito o reconhecimento à mata, após a emboscada. Estivemos perto de capturar um elemento IN ferido o qual só não foi capturado por minha culpa ao pedir ajuda ao Aradas para me ajudar a localiza-lo já que eu tinha ouvido os seus gemidos ali por perto. Pela vida fora, arrependi-me de ter chamado o Aradas pois penso que sozinho eu teria capturado não só o guerrilheiro mas também a sua arma.
    Este, acabou por deixar de gemer e não o conseguimos encontramos encontrar no capim porque tínhamos pressa de continuar a viagem nas viaturas para ir a Mansoa.

    Na semana seguinte tudo nos correu pior, pois quando íamos de novo a Mansoa abastecer, seguíamos em 2 viaturas uma delas rebocando a outra por avaria.
    Íamos a cerca de 20 Km/hora e éramos alvos fáceis.
    No preciso local de uma semana antes, fomos de novo emboscados e na viatura onde eu seguia, houve vários feridos e um morto pertencente ao plotão de morteiros que com nós se encontrava estacionado em Cutia.

    Por fim, fomos passar os últimos 3 meses a Bissau de onde embarcámos finalmente para Portugal ao fim de 22 meses de Guerra acesa e encarniçada na Guiné.

    Aos (heróis portugueses de hoje), àqueles militares mimados que hoje em dia vão passear para o Kosovo ou Paquistão acompanhados de jornalistas e mimados que nem bebés, ganhando chorudos ordenados, a esses nem lhes passa pela cabeça o que os seu progenitores passaram na guerra da Guiné Bissau onde a morte os espreitava em cada esquina ou atrás de cada árvore daquelas temíveis matas mesmo ali ao lado dos quartéis nacionais.

  35. José António Matias Says:

    Para o Lobo da CART 1660:
    Li a descrição que nos deixaste.
    Como estive em Olossato gostaria de saber em que data estiveste lá.
    É só para fazer relacionamento temporal.
    Um abraço.
    Matias, furriel miliciano da CCAV 3568 (Fantasma da Bolanha)

  36. Tony - Radiot Says:

    Olá Matias um abração, olha Matias como estive a ler a mensagem vejo que o Lobo não é do nosso tempo pois a Cart embarcou em Fevereiro de 1967 e estiveram 22 meses ora deviam de ter passado à disponibilidade em Dez1968 mais ou menos e nós estivemos lá 1972/1974. Vá mais uma vez um abração e até às férias em Julho.

  37. Horácio Trincão Says:

    Caros camaradas Viola, Tony e Matias

    Estive a ler com muita atenção as Vossas conversas, e fiquei bastante sensibilizado com tudo aquilo que foi dito. Como vocês tão bem dizem somos uma família, apesar de alguns maus momentos. Mas os bons, e a amizade mantida ao longo desde anos é para mim uma grande satisfação.

    Amigos agradeço o facto de falarem bastante na minha pessoa.
    Deixo-vos o meu email:horaciochtrincao@gmail.com

    Saudações fantasmagóricas e que o Vosso corpinho ainda esteja jametum. Manga de ronco

  38. José António Matias Says:

    Benvindo Trincão.
    Como bem dizes a Guerra fez com que aumentássemos a nossa família.
    Como todas, com bons e maus momentos. E é para mim muito grato quando nos encontramos e recordamos todas aquelas vicissitudes. Já não falta muito para Maio e o tempo voa. Quando abrirmos a pestana estamos a dar aquele abraço.
    Sabes que se falam em ti é simplesmente porque és aquele camarada que não se esquece por aquilo que és e basta.
    Se estiveres com o Bento, Oliveira e outros aí da zona peço que lhes dês saudações fantasmagóricos.
    Do Matias um ganda abraço, com tudo mas tudo de bom para ti e para os teus.
    P.S. – Já agora, não é que não tenha todo o gosto e até prazer em vir a estas páginas, mas não haverá por aí um fantasma que perceba disto o suficiente para fazer um blogue ou algo dos Fantasmas?

  39. Tony - Radiot Says:

    Bom isto está-se a compor, de um Fantasma já vamos em quatro. Bem haja amigos, agora é assim passar palavra e a Companhia estará toda aqui a relembrar a passagem de 27Março1972 a 12Julhode1974, dois anos e 15 dias que passámos juntos. Para o amigo Trincão, ora bem estava a ver que te perdia o rasto, tenho-te enviado msn e ainda foi neste Natal e nada mudás-te de tlm, Olá Trincão sempre aquela máquina, vou registar o teu endereço electrónico depois falamos, vá um grande mas mesmo grande abração para ti Trincão Joel Matias extensivo a Bento Oliveira etc, cá do Suíço Tony.

  40. Joel Viola Pacheco Says:

    Ora bom. Os Fantasmas do Olossato, estão a aparecer na net.
    Surprise!!!. Amigo Horácio Trincão, seja bem vindo a esta “tabanca”.
    Um ano de 2011 completamente realizado para ti e família, extensivo a toda a malta da família da ccav3568, da Chamusca e restante Ribatejo.
    Um forte abraço e MANGA DE RONCO.

  41. Lobo (Cart 1660 1967/1968 Says:

    Para o José António Matias (ex-furriel), eu estive no Olossato em fins de 1967, durante cerca de um mês e tal para fazer patrulhamentos na mata de Morés.

  42. Lobo (Cart 1660 1967/1968 Says:

    Quero aqui deixar uma palavra de apreço ao pessoal da companhia caç. 816, companhia esta que me deixou marcado por uma grande saudade da metropole quando no dia 11 de Fevereiro de 1967 eu cheguei a Mansoa integrado na Cart 1660, tendo deparado com a companhia 816 já em cima das suas viaturas afim de seguir para Bissau e embarcar no mesmo navio onde eu momentos antes tinha desembarcado.
    Nunca mais esquecerei esse momento de festa que vocês estavam a ter naquele momento em que abandovnavam Mansoa e a guerra na Guiné.
    Lembram-se?

  43. Carlos Manuel Fernandes ( ex.fur.mil) Says:

    Caros AMIGOS, Joel, Matias,Tony e Trincão.

    Já não são SÓ quantro, pois agora passamos a ser cinco, e estou convicto que em breve seremos bastante mais, é só divulgar o site.

    Para o Tony, um abraço especial, já que não nos vemos à mais de 35 anos. Para os outros aquele abraço e até breve

  44. Carlos Manuel Fernandes ( ex.fur.mil) Says:

    Para os MEUS AMIGOS fantasmas, aqui vai o meu e-mail.

    fernandes.carlosmanuel@gmail.com

    Um grande abraço ara todos os FANTASMA DA BOLANHA/c.cav.3568

  45. Carlos Manuel Fernandes ( ex.fur.mil) Says:

    Tony

    Quando estiveres de férias, tambem eu gostaria de estar contigo. Vamos lá combinar isso, com o Viola, Matias e Trincão, para no próximo mês de Julho, nos encontramos todos em Peniche. Como sempre estarei disponivel, basta concertar a data, de preferência num fim de semana.

    Um abraço
    Carlos Fernandes

  46. Tony - Radiot Says:

    hiiiiihiiiiiiiiiihiiiiiiihiiiiiiiihiiiiiiiiho CêeMeeFe, ganda pintarola, vamos ter aqui a companhia ai vamos vamos, está combinado, registo o teu email e nas férias se tudo correr bem lá estaremos numa coparada. Um grande abraço Carlos daqui da Suíça já agora estendo este abraço aos nossos camaradas Fantasmagóricos CCAV3568.

  47. Joel Viola Pacheco Says:

    Meus Amigos, é com emoção e muitíssima alegria que vejo os Fantasmas do Olossato, a chegarem a este blogue.
    Ainda faltam muitos, mas cada dia seremos mais.
    Estou pronto e totalmente de acordo com a proposta do Fernandes, de os receber em Peniche.
    Um abraço muito grande para todos elementos da nossa CCAV3568.
    Aqui vai o meu e-mail: joelviolapacheco@gmail.com

  48. José António Matias Says:

    Manga de ronco, amigo CMFernandes. Mais um fantasma a ser recrutado.
    Vamos pois a essa mobilização de verão. Mas antes estaremos com os de mais longe no nosso habitual almoço, que este ano será a 14 de Maio.
    Um abraço fraterno a este quinteto e aos que se apresentarão em breve.
    A todos os Ex-combatentes muita saúde e alegria, que também é precisa.

  49. Almeida Beja Says:

    Caros FANTASMAS, cá vem mais um, e é com enorme prazer que aqui chego e constato todo este movimento. Acabei da saber pelo Trincão(é claro que tinha que ser por este SENHOR), que hoje me telefonou e informou desta sena. Como já estou reformado, e agora só faço o que me apetece, estou sempre disponível para tudo o que se referir À FAMÍLIA FANTASMA. Vamos crescer, manter e aumentar os contactos. Abraços a TODOS OS FANTASMAS.
    almeida.beja@gmail.com-964416862
    ex-furriel miliciano Beja

  50. Carlos Manuel Fernandes ( ex.fur.mil) Says:

    Olá a todos.
    Isto setá a compor-se, já somos seis. E como disse anteriormente, certamente daqui a uns tempos seremos bem mais.

    Um GRANDE abraço para todos.
    Carlos Fernandes

  51. Carlos Manuel Fernandes ( ex.fur.mil) Says:

    Beja

    Então julgas que és só tu, que já passou à peluda ( civil ), também já estou e ao que sei o Matias e o Viola, já passaram para a trupe dos que nada fazem.
    Pois é, a idade já não perdoa, e os sessenta já cá cantam.
    O abraço
    Carlos Fernandes

  52. Joel Viola Pacheco Says:

    Olha o Beja!!! és mais um fantasma que chega a esta tabanca, mais um a dizer sim à família da 3568.
    Como o Fernandes disse em cima, também pertenço ao grupo daqueles que as semanas tem cinco sábados e um domingo.
    Nada de trabalho. Desporto sim, quatro vezes por semana, ao domingo, 2ªfeira, 4ªfeira e sexta, isto para ir enferrujando devagar.
    Um abração para ti, extensivo ao Trindade.

  53. Almeida Beja Says:

    O Trindade agora só o vejo de vez em quando. Agora estou pelo Deserto a tratar das galinhas e dos patos. Quando passarem pela Mimosa, a caminho de Marrocos, parem na Mimosa e liguem-me. É aqui perto e vêm cá beber um copo.
    Joel, respondi-te ao mail, mas veio devolvido.
    Abraços

  54. Tony - Radiot Says:

    Bom Fantasmas, já somos seis e sejam bienvenutos, pelos vistos se aparecerem para aqui mais alguns Fantasmas são mais reformados e só eu é que trabalho. Um grande abraço.

  55. Almeida Beja Says:

    Oh Joel então a semana para ti só tem SEIS dias? Para mim continua com sete, e agora até trabalho mais, mas só faço o que quero. Antes trabalhava, mas passeava muito e sempre com bons almoços. Já me adaptei a esta nova vida.
    Abraços

  56. Almeida Beja Says:

    Oh Tony, alguém tem que trabalhar para os reformados. Que continues e com muita saúde.
    Abraços

  57. José António Matias Says:

    Olá Fantasmas.
    Já são seis e o sétimo está quase achegar. Penso eu de que…..
    Pois estive hoje à fala com o Rodinhas e dei-lhe conhecimento deste blogue.
    Abraços para todos.
    Também para o autor que assim nos proporciona este contacto.
    Parabéns e obrigado.

  58. Henrique Says:

    Olá Fantasmas,
    como autor deste blogue não posso deixar de vos dar as boas vindas e agradecer a vossa companhia.
    Como devem saber também estive no Olossato em 67.
    É para mim uma honra acolhe-los, receber os vossos comentários.
    Ficam desde já convidados a enviar fotos que com todo o gosto publicarei.
    Abraços.
    Henrique Cabral

  59. domingos rocha (Grijó) Says:

    Olá a todos os Fantasmas.
    Sou a filha do Grijó. Há alguns meses atrás passei por aqui e verifiquei que 2 fantasmas tinham utilizado este blogue para se reencontrar, mas agora voltei a passar e é muito bom verificar que já são 6 a fazê-lo, agora passam a ser 7 pois apesar de ser eu a escrever, o meu pai lê, sorri e até lhe vem as lágrimas aos olhos, ao reencontrar os camaradas dele de quem tanto gosta.
    Agora vou aproveitar para lembrar a todos os fantasmas que o convívio deste ano está quase a chegar, sim, pois será no dia 14 de Maio em Grijó- Vila Nova de Gaia.
    Grandes cumprimentos do meu grande pai (grijó) para todos os Fantasmas que também fazem parte da família do meu pai.

  60. Almeida Beja Says:

    Mais um, Bem vindo.
    Vou contactar mais uns Fantasmas e ver se eles aderem.
    Abraços a Todos e também ao Henrique, que apesar de não o conhecer, foi ele que criou este blogue .

  61. domingos rocha (Grijó) Says:

    A todos os Fantasmas que queiram contactar o meu pai aqui vai o contacto:
    telemóvel: 917077780
    telefone: 227458664
    filha: 910786942
    email filha: fernanda.rocha@hotmail.com

    grande abraço e até breve

  62. Joel Viola Pacheco Says:

    Muitíssimo obrigado Henrique Cabral por teres criado este blogue .
    O mesmo proporciona a comunicação entre ex-combatentes na Guiné.
    No meu caso é via que permite estreitar laços com a família da 3568, os Fantasmas da Bolanha.
    Um abraço Joel Viola.

  63. Joel Viola Pacheco Says:

    BEM VINDO Amigo Domingos F. da Rocha,(grijó), mais um fantasma que chega a esta “tabanca”.
    Amigo os anos passam, mas pelo comentário acima escrito, continuas o mesmo Grijó sensível e de lágrima fácil.
    Peço-te se possível, a presença do Daniel B. Pereira o “SPINOLA”, o gajo não aparece há 37 anos.
    Um abração do VIOLA.

  64. Carlos Manuel Fernandes ( ex.fur.mil) Says:

    Henrique Cabral

    Bem hajas. Faço minhas as palavras do meu AMIGO Viola.

    Muito grato
    Um grande abraço
    Carlos Manuel Fernandes

  65. domingos rocha (Grijó) Says:

    Olá muito bom dia a todos:
    Li o seu pedido s. Joel Viola já verifiquei que na lista que temos com os contactos dos ex- combatentes não consta o nome dele mas já enviei um mail ao s. Rodinhas e vou tentar fazer de tudo para que o encontre.
    abraços meus e também do meu pai.
    Grijó

  66. Carlos Manuel Fernandes ( ex.fur.mil) Says:

    Fernanda
    Boa tarde,
    Tira lá o “s” ( deve ser Senhor ) dos teus comentários, somos “cotas” mas não somos assim tão velhos, o que conta é o espírito e não a idade.
    É giro e gratificante verificar que os filhos dos FANTASMAS também se interessarem e contribuem, venham mais, pois são sempre bem vindos.
    Bjs para ti, e um grande abraço para o teu pai.
    Carlos Manuel Fernandes

  67. Tony - Radiot Says:

    Olá Carlos recebes-te a minha msn a pouco?

  68. José António Matias Says:

    Fantasma Tony:
    O CMF não te responde e não sabes o porquê?
    Sendo lagartixa está a hibernar.
    Um abraço.

  69. José António Matias Says:

    Olá a todos os Fantasmas.
    Quero deixar expresso o meu agradecimento ao Tony que está a elaborar o nosso blogue.
    Fique como ficar é bom para todos nós.
    Para a família fantasma e todos os ex- combatentes aqui vai o endereço…
    ccav3568.blog.comunidades.net
    Abraços

  70. António Rocha Says:

    Caros. Pertenci à c.cav.3378 Kimbas do Olossato. Reunimos anualmente. Este ano será no Algarve e como sempre será uma enorme alegria rever os velhos amigos.

  71. Eduardo Domingues Says:

    Para o Lobo da CART 1660, mensagem de 11 de Janeiro.
    Caro companheiro. Fiquei sensibilizado com o teor da tua mensagem de saudade. Não admira, pois o contraste foi grande. Tu acabado de chegar a Mansoa e eu em cima da camioneta a partir, embora sem a certeza de poder chegar ao barco sem que nada de mal acontecesse até ao barco. Só entregámos as armas à saída da ponte na zona de Nhacra. A partir daí ficámos realmente com a noção de que para nós tinha acabado a guerra e que para ti e demais camaradas tinha começado. Felizmente regressamos o que, infelizmente, não aconteceu a muitos.
    Um abraço de felicidades e boa saúde de ex Furriel Milº Eduardo Domingues da C.Caç.816.

  72. Antero Santos Says:

    A pedido da família estou a tentar recolher informações sobre Francisco Monteiro de Almeida; pertenceu à CCAV 1616 – BCAV 1897; penso que esteve no Olossato; foi considerado desaparecido em combate em 23/6/67.
    A família não tem quaisquer informações e agora, decorridos 43 anos, as irmãs gostariam de saber algo. Na época ficaram naturalmente destroçadas por esta situação e em 1970 faleceu em Moçambique o namorado de uma irmã. Solicito informações.
    Antero Santos – Fur Mil CCAÇ 3566-Empada e CCAÇ 18-Aldeia Formosa.

  73. Américo Ventura Says:

    Procuro o 1º cabo Bartolomeu José da Conceição que esteve na Guiné e era conhecido por alcunha “josé maluco de lisboa” a última morada que conheço era, Rua Alexandre Herculano nº 28 Amadora. Sua mãe era a porteira do prédio, veio ferido do ultramar.

  74. Susy Noronha Says:

    Gostaria de saber como poderia obter informações à respeito de um anscestral meu, o Cap.Antonio Monteiro de Noronha, meu 4° avô, e que veio para o Brasil em 1748 e foi morador em Ouro Preto, no estado de Minas Gerais. Seu pai chamava-se Francisco Monteiro de Noronha (5° avô) c.c. Caetana Josefa da Gama Pessanha, e moravam na Bahia, pois tiveram um outro filho de nome Francisco Xavier Monteiro de Noronha, nascido em Santana do Sacramento . Estou fazendo a genealogia de minha família e precisaria achar algum registro deles e a única referência que tenho, e que seria mais fácil de pesquisar, seria pela patente de Capitão deste meu avô. Alguém poderia ajudar me dizendo aonde eu poderia procurar estes registros em Portugal?

  75. José António Matias Says:

    Penso que na Torre do Tombo em Lisboa encontrará dados, mas o acesso acho que não é fácil, mas não impossível.

  76. Avelina Maria Noronha de Almeida Says:

    Suzy:

    Meu nome é Avelina Maria Noronha de Almeida, de Conselheiro Lafaiete, Minas Gerais, Brasil. A minha árvore genealógica está parada no ramo dos Noronha por causa de minha quarta avó Francisca Cândida Xavier Noronha. Há informações de que ela seria filha ou neta do Antônio Monteiro de Noronha, ou então filha de seu irmão Francisco Xavier Monteiro de Noronha, mas não encontrei ainda nada que possa comprovar isso.
    Tenho informações sobre descendentes e ascendentes, há muitos trabalhos na internet feitos por descendentes do Antônio, porém não consigo encaixar a minha Francisca.
    Se você der mais dados sobre o que precisa, talvez possa ajudá-la.

  77. Amigo, penso que já foi respondido em cima pelo amigo Matias (Penso que na Torre do Tombo em Lisboa encontrará dados, mas o acesso acho que não é fácil, mas não impossível.), penso que é a única solução.
    Um abraço.

  78. Manuel Brandao Says:

    Para Suzy Noronha
    O nome dos ancestrais referenciados, encontram-se em http://www.geneall.net, mas infelizmente a linhagem começa FRANCISCO MONTEIRO DE NORONHA, logo vai ser dificil de encontrar outros ancestrais.
    Uma outra via para encontrar´será por intermédio do site www. familysearch.org, que é o site oficial dos “mormons”.
    Se existir uma igreja da seita religiosa por perto, pode ser possivel requisitar uma ou várias cópias dos microfilmes dos registos paroquiais que existem em Salt Lake City, mas para tal é necessário saber a que paróquia ou freguesia a que pertencia o referido Francisco.
    Boa sorte e não desista pois é bastante aliciante fazer a árvore genealógica (que tem todos os elementos que fazem parte de um grupo familiar) ou então a árvore linelógica ( que só trata da sequência de pais para filho/a)
    Manuel Brandão

  79. Américo de Sousa Couto Says:

    Sou Américo de Sousa Couto, Cortegaça, Ovar, gostava de encontrar colegas do Batalhão Cavalaria 8320, estive no Biambe em 74.
    Éramos quatro condutores, um chamava-se Rafael de Valongo outro de Vila do Conde outro de Coimbra.
    A mim chamavam-me “o Cortegaça”, se souberem alguém que me ajude a encontrar alguns deles agradecia.
    Gostava de participar em convívios com colegas do mesmo batalhão.
    Contacto: 936473181.

  80. Joel ViolaPacheco Says:

    BOM NATAL e FELIZ ANO NOVO.

    Para todos os camaradas que estiveram em comissão na Guiné.

    Especialmente para aqueles,como eu passaram pelo Olossato.

    Abraços Viola, CCAV3568 72/74.

  81. Olá Fantasmas. Já passou quase outro ano e em breve estaremos noutra almoçarada. Aqui em Santa Cruz estou a indicar este blog a um amigo que também esteve na Guiné. Para quem o conheça é o Álvaro Isidro que era da PM, soldado e esteve sempre em Amura. Logo que ele possa virá aqui deixar a sua mensagem. Para todos os Ex- combatentes um forte abraço.
    JAMatias

  82. Um abraço e qual a data dessa almoçarada

  83. Antonio de Jesus Bento Says:

    Fantasmas da Bolanha: Cheguei! Sou o António Bento, comandante supremo do Joquinha e do Santo António,na arrecadação de material de guerra. Um abraço para todos os FANTASMAS do amigo Bento, Mecânico de Armas.

  84. Olha o sor Bento, um abraco tony radiotelegrafista

  85. José António Matias Says:

    Então Tony, a almoçarada a que me refiro é a dos Fantasmas no dia 12 de Maio em Vila de Rei.
    Era um enorme prazer ter-te lá, com a família.
    Até lá se for caso disso um grande abraço.
    Matias

  86. josé António Matias Says:

    Até que enfim chegaste, camarada Bento.
    Este ano não podes faltar senão fazemos uma patrulha até à tua tabanca e vais ver como elas caiem.

  87. Antonio de Jesus Bento Says:

    Olá Fantasmas: Estou aqui na minha tabanca com outro Fantasma, que este ano organiza o nosso encontro em Vila de Rei. O camarada Maximiano Dias da Costa. Estamos a contar com muita gente,esperamos pelo Tony, pelo Joel Viola Pacheco, já que do Zé António Matias, nem se fala porque esse nunca falta. Já agora, ficam avisados de que quem faltar será punido com prisão na casa das batatas, no Olossato e na companhia de um Balanta. Portanto ninguem falte a não ser que goste do castigo. Um abraço dos Fantasmas Bento e Maximiano que foi avô à um mês, e o Trincão tambem.

  88. Antonio de Jesus Bento Says:

    TODOS OS FANTASMAS A VILA DE REI NO DIA 12 DE MAIO DE 2012. NÃO FALTES, SENÃO JÁ SABES QUAL É O CASTIGO!!!!!

  89. Tony - Radioth Says:

    Oi Fantasmas un abracao a todos, ca o filho da Tia Carolina este ano talvez nao esteja presente

  90. jose antonio teixeira ferreira - cinfães Says:

    estive na guiné em 1974 e durante tres meses no olossato, era furriel enfermeiro chamo-me ferreira e gostava de contactar com os meus colegas que já vejo á 40 anos , por isso gostava de contactar com eles , nomeadamente com o furriel mecanico peão e outos amigos a qum perdi o rasto

  91. Antonio de Jesus Bento Says:

    Amigo José Ferreira, é melhor por o nome e número da Companhia e o ano em que lá esteve, para uma melhor identificação.

  92. josé António Matias Says:

    Não vejo a hora de zarpar para Vila de Rei.
    Que “venham mais cinco”.
    Um abraço para todos os Fantasmas, já agora em especial para os babados avós.

  93. Antonio de Jesus Bento Says:

    O almoço dos Fantasmas da Bolanha foi ontem dia 12 de Maio de 2o12 em Vila de Rei. Estiveram presentes cerca de 120 pessoas entre os quais 51 ex-militares. Correu tudo bem e estão de parabens , oCarvalho e o Maximiano. No próximo ano será no Barreiro e os organizadores serão o Montargil e o Faleiro.

  94. Ok, obrigado Bento penso para o ano estarei presente, se nao precisar vou guardar dias de férias um abraço Tony Radiot.

  95. jose garcia antunes Says:

    Gostei de saber deste site pela informaçao do nosso colega jose antonio matias no nosso almoço no passado sabado em vila de rei foi com muita emoçao que vi as fotos do olossato etc e tambem os vossos comentarios muitas felicidades para todos os colegas fantasmas , sou o antunes

  96. tonico50 Says:

    Um abraço Antunes sou o Tony Radiotelegrafista.

  97. jose garcia antunes Says:

    Amigo e colega TONY RADIOTELEGRAFISTA pelo sei estas na suiça para o ano vais aranjar um tempinho para vires ao nosso convivio deviamos divulgar mais este SITE para os fantasmas irem trocando as ideias e coverssando por este meio , muitas felicidades , um abaço do Antunes deixo o meu email josegarciaantunes@hotmail.com

  98. Jorge Manuel Moniz Borges Machado Says:

    Jorge Machado (ex-Furr. Mil. Enfermeiro) Cª Caç. 2402, Co-Manssaba-Olossato, Guiné 68/70
    74 summmerfield street
    Fall River Ma. 02720 USA

    Deseja contactar com o pessoal do nosso tempo.
    https://www.facebook.com/jorge.machado.35513

  99. Antonio de Jesus Bento Says:

    ATENÇÃO A TODOS OS FANTASMAS DA BOLANHA: Já temos um grupo formado no fb. para mais informação contactar: o Bento, o Matias, o Trincão, o Gomes, o Antunes, o Girão, o Carvalho etc. para te fazeres membro do grupo, basta seres amigo de um destes Fantasmas e pedires para seres inscrito. Só Fantasmas e familiares. Abraço do Fantasma Bento ( Mec. de armas ).

  100. Antonio de Jesus Bento Says:

    Aqui fica o meu endereço: ajbento2011@gmail.com

  101. Maurício (ex Alf mil Artª) Says:

    A guerra é a guerra. Há gente que morre. Só quem nela entrou consegue melhor explicação. A colaboração é directamente proporcional ao enrrascanço. Heróis são frutos das situações. As marcas tendem a permanecer fortes. Os problemas na paz ficam relativizados. A minha decorreu aí por cima, em Binta. Alfa Bravo.

  102. Tony - Radiotelegrafista Says:

    Amigo Bento qual é esse grupo, queria me inscrever um abraço

  103. clarim Cartaxo 131163/71 Says:

    Boa tarde amigos Fantasma, o Homem que lhes dava o pão e o vinho com muita satisfação, Há quer guerra, então aí vai guerra.
    estas são as minhas lavadeiras de Olossato 72 / 74 Guiné.

  104. josé António Matias Says:

    Tudo em grande. Logo duas,hem…
    Um abração amigo Renato.
    Viva aos Fantasmas!!!!!!

  105. Ho é da minha vista ou entao ja estou a precisar de binoculos, ho Matias aonde estao as duas? so vejo comentarios, lol….

  106. joel viola pacheco Says:

    Amigos . já mudei de óculos´e estou como o Tony, não vejo uma ´quanto máis duas. Abraços Viola

  107. josé António Matias Says:

    Tony e Joel,
    são duas pois, mas no face book! Abraços..

  108. Matias no facebock ja tinha visto coisas dessas nao me escapam mas aqui era de pôroculosmemo

  109. José Augusto Miranda Ribeiro Says:

    José Ribeiro, ex-Furriel Miliciano.
    Pertenci à CART 566 e permaneci no Olossato cerca de 16 meses nos anos 1964-1965.
    Esta Companhia esteve na ilha do Sal cerca de 9 meses de prevenção à Guiné. Partimos da Ilha do Sal no dia 25 de Julho de 1964 no navio de Guerra “LIMA” que pouco tempo depos foi para a sucata. A viagem foi péssima, pois aquela embarcação tinha a guarnição completa e nós estavamos a mais, cerca de 150 homens que dormiam no convés. Apanhámos uma tempestade com muita chuva. A água do mar entrava e saía do convés durante a primeira noite. Por fim chegámos a Bissau, pouco depois fomos para Bissorã e finalmente para o OLOSSATO. Aqui construímos o primeiro quartel. Os abrigos eram de trancos de palmeiras e na parte superior fizemos com os referidos troncos uma caixa com terra.
    Os primeiros ataques que sofremos ainda não tinhamos abrigos.
    Depois com abrigos estávamos mais protegidos das granadas de morteiro. Foi uma guerra, e como todas as guerras são injustas. Só tivemos dois mortos em combate e outros dois em acidente. Tenho centenos de fotografias que vejo para recordar aqueles maus tempos que por lá passei.Todos os anos fazemos um almoço/convívio onde levamos filhos e netos. Infelizmente, agora com mais de 70 anos vamos ficando cada vez menos. Mais de um terço já deve ter partido, mas continuamos a recordá-los nos nossos encontros. Quando regressámos a Portugal em Outubro de 1965 eramos a companhia que mais material de guerra tinha apreendido. A todos os camaradas que estiveram no OLOSSATO envio um abraço fraterno. JRibeiro

  110. José Augusto Miranda Ribeiro Says:

    Luís Graça & Camaradas da Guiné: Guiné 63/74 – P10630: Fotos à procura de uma legenda (20): Fotos de uma operação ao Morés em 1964 em que intervieram a CART 730 e a Companhia sediada no Olossato (António Bastos)
    Camarada António Silva Bastos do Pel.Caç 953.
    Li as tuas intervenções sobre uma grande operação a Morés. Vi as fotografias em anexo e não reconheci ninguém.
    Pertenci `CART 566, que foi a 1ª companhia que se instalou no Olossato, improvisou um aquartelamento e construiu os abrigos em 1964.
    Lembro-me que em Maio de 1965, no início do mês, participámos numa operação a Morés, aqual envolvia 7 companhias, tendo sido, ao logo da noite, detecadas todas as companhias, excepto a CART 566. Um caso de sorte. Na escuridão da noite apesionámos um guarda (sentinela) e depois um ronda do lado do inimigo. Foram eles que nos indicaram (voluntariamente ??) a única entrada não armadilhada para aquela grande casa de mato. Foi um bom trabalho. Mesmo com morteiradas a caírem sobre nós lá fomos entrando. Encontrámos muito material de guerra, e um subterrâneo, que era um hospital com diverso material relacionado com a saúde. Foi necessário o helicóptero deslocar-se meia dúzias de vezes para levar o referido material.Nós também carregámos muito material.
    Por isso meu caro camarada Bastos, foi a CART 566 que estava no Olossato nessa data, mas, que eu me lembre, não nos encontrámos com qualquer outra companhia.
    Agora, eu com quase 74 anos, só estou bem sentado à mesa, e a minha barriga vai crescendo, crescendo… É preciso ter boa disposição, saúde e paz, porque a Guerra Colonial já acabou.
    Um abraço do teu camarada que desde já te considera um amigo.
    Um abraço. JRibeiro (José Augusto Miranda Ribeiro)

  111. José Augusto Miranda Ribeiro Says:

    16:29 (há 22 horas)

    para Carlos

    Caro amigo Carlos Vinhal, camarada da Guiné.

    Conforme me solicitaste aqui envio os meus dados identificativos:

    NOME: José Augusto Miranda Ribeiro

    NATURALIDADE: Lousã

    RESIDÊNCIA: Urbanização Balcões da Caneira Lote 2 – 2º Nasc./Sul, 3150-151 Condeixa-a-Nova

    DATA DE NASCIMENTO: 8 de Abril de 1939

    ANTIGO POSTO: Furriel Miliciano

    ESPECIALIDADE: Atirador

    UNIDADE: RAP 2 (Vila Nova de Gaia) CArt 566

    QUANDO FUI E REGRESSEI: Parti de Lisboa (Acântara) a 8 de Outubro de 1963,no pequeno navio “Ana Mafalda” tendo passado pela Guiné a fim de descarregar mantimentos e duas companhias e carregar outras duas companhias que iam regressar a Portugal. Seguimos para a Ilha do Sal, em Cabo Verde tendo ali ficado de reforço à Guiné.De surpresa a minha companhia embarcou , no velho navio de guerra “Lima”, a 25 de Julho de 1964 e passámos duas noites e um dia com chuva e com o mar muito agitado, dormiamos desprotegidos no convés. Por fim lá chegámos à Guiné. Passámos cerca de um mês em Bissau onde conhecemos a G3 e treinámos com ela numa pequena carreira de tiro. Nessa mesma ocasião embarquei de avião da TAP para Portugal onde passei 28 dias de férias. Quando voltei a Bissau a CART 566 já estava instalada em Bissorã. Desloquei-me para lá numa pequena avioneta militar, que sobrevoou algumas “casa de mato” para observar e fazer o reconhecimento. Ali permanecemos, fazendo constantes patrulhamentos e acompanhando as colunas de mantimentos que vinham de Bissau e, depois de descarregar os nossos mantimentos, seguiam para o Olossato onde estava instalado um pelotão da nossa companhia a dar apoio a uma unidade artelharia com 2 obuzes.Foi em Bissorã que, infelizmente tivemos duas vítimas mortais, quando levantávamos abatizes na estrada de Bissorã – Mansoa. Os seus nomes estão gravados, juntamente com o nome de muitos mortos em combate na nossa Unidade RAP 2, em Vila Nova de Gaia.

    Em Dezembro, pouco antes do Natal a CART 566 foi totalmente para o Olossato. Ali costruimos um aquartelamento e os primeiros abrigos do Olossato. Saímos do Olossato no inìcio de Outubro de 1965 e fomos para Bissorã, a 27 de Outubro embarcámos em Bissau com destino a Lisboa, no navio “Niassa”, onde chegámos a 3 de Novembro.

    Há muitas histórias para contar, mas isso fica para mais tarde. Apenas queria enviar uma fotografia do “MAMADU” que agora é o Jorge e vive no norte do País. O Jorge quando criança foi recolhido pela 566 e transportado às costa de vários militares.O Sargento Preto foi quem mais apoio lhe deu Agora o Jorge já tem cabelos brancos. Estudou, fez o 5º ano do Liceu, foi protegido por um industrial do norte e tem ido aos nossos encontros anuais.

    Para ti, Carlos Vinhal, vai um abraço.

    JRibeiro

    No dia 2 de Janeiro de 2013 à9 11:35, Carlos Esteves Vinhal escreveu:

  112. José Augusto Miranda Ribeiro Says:

    4 anexos — Fazer a transferência de todos os anexos (zipado para

    Português

    ) Visualizar todas as imagens

    58.jpg
    140K Visualizar Transferência

    5.jpg
    125K Visualizar Transferência

    Sargento-Mor Abílio Preto.JPG
    523K Visualizar Transferência

    MAMADU-Jorge.JPG
    437K Visualizar Transferência

  113. Aos Fantasmas, se for aceite a partir do 30jun2013 passo a pertencer a tropa dos reformados ja é tempo 62 ca cantam e 63 é em junho um abraço

  114. joel viola pacheco Says:

    Amigo Toni . es máis um cota que chega ao clube , no qual as semanas passam a ter seis sábados e um domingo.
    Os Fantasmas da Bolanha estão a ficar cotas, mas estamos vivos.
    Abraços e boa Pascoa.

  115. josé António Matias Says:

    Já formamos um bom pelotão. Abraços e não se esqueçam do nosso convívio dia 11 de Maio no Barreiro.

  116. António Gonçalves da Rocha Says:

    Olá pessoal.
    Meu nome: António Gonçalves da Rocha
    e-mail. antoniorocha56@gmail.com

    Estive no Olossato de: 13 de Maio de 1971 a 26 de Maio de 1972.

    Tínhamos o nome de Guerra, Kimbas do Olossato.

    Reunimos anualmente as tropas e este ano será em Évora no dia: 25 de Maio de 2013.

    Se porventura houver algum ex. camarada da companhia de cav. 3378 (kimbas do Olossato) que ainda não foi convocado para o almoço/festa/convívio, poderá entrar em contacto com:

    Filipe Mangerico
    Travessa das Doroteias n.º 19, 7005- 661 Évora

    e-mail. filipemangerico@sapo.pt

    telemóvel. 962685227. fixo. 266709414.

    O Sr. Eng. Eugénio Sequeira, o nosso ex. capitão miliciano, tem estado presente em todos os convívios.
    Como o nosso capitão era para os soldados, em especial os praças, um segundo PAI, é um prazer enorme ter a sua companhia.

  117. joel viola pacheco Says:

    Amigo Rocha . ao ler teu comentário. referente ao vosso almoço convivio, ( nos ccav3568, que os fomos render no Olossato).tambem vamos ter o nosso a11 de Maio. no Barreiro.Mas no teu comentário referes uma situação, (presença do vosso ex capitão). o nosso só esteve presente uma vez, ele tambem munca foi , nem de perto como um Pái para nós.

  118. António Gonçalves da Rocha Says:

    Nós os Kimbas, éramos e ainda somos uma família. Não inventei, o Sr. Eng. Agrónomo, Eugénio Sequeira, na altura nosso capitão, era efetivamente um sugundo Pai para nós. Apesar de ser capitão, era ainda muito jovem, compreendia-nos. Estive vários anos sem participar nos almoços/festa/convívio, devido a ter mudado de residência e os organizadores não saberem a minha morada, mas quando participei pela primeira vez tive o cuidado de usar da palavra e exprimir a minha gratidão ao Sr. Eng. Eugénio Sequeira. Nesse convívio, que se realizou na Lourinhã, declarei que a maneira como nos tinha comandado, tinha sido importantíssimo para o meu percurso de vida, e educação dos meus filhos. A partir desse ano tenho participado em todos os convívios. São sempre um dia muito feliz nas nossas vidas.

  119. rafael gligo Says:

    rafael gligo
    mais um kimba que confirma o que foi dito pelo antonio g da rocha

  120. joel viola pacheco Says:

    Ontem tive o prazer de conviver, com 45 elementos da familia, ccav 3568. Cada ano que passa temos a triste noticia de máis um elemento que partiu , desta vez foi o CESÁRIO. Que Deus o tenha em um bom lugar.Todos os já partiram foram lembrados e respeitados com um minuto de silencio, mas ontem foi dia de festa e de emoção ao lembrarmo-nos do ANTÓNIO GERALDES, falecido a 11/05/73, na Ponte do Maque.

  121. avelino goncalves Says:

    olá a todos os camaradas da c cav3568 os fantasmas da bolanha
    foi com muita mas muita alegria que ao ler os vossos nomes me fez lembrar as terras da guine por passamos boms e maus momentos sou o transmições gonçalves ja fui a dois convivios espero no proximo poder ir sei que ex cabo Figueiredo me foi procurar a transnautica para todos um grande Abraço não esquecendo a Maquina a petroleo que trabalhava a cerveja.
    o meu email-tag.geral@gmail.com

  122. joel viola pacheco Says:

    É com enorme alegria que registo a chegada de mais um amigo e camarada dos Fantasmas da Bolanha da ccav 3568.
    Já partiram alguns, de certo que Deus os tem em bom lugar.
    Mas ainda somos muitos para cimentar a amizade que ficou, enraizada desde a terra vermelha da Guiné.
    Abraços do Viola .(Mecanico)

  123. A todos um grande Abraç0, Tony Radiot

  124. Horacio Trincao Says:

    um grande abraço para o Dracula e bem aparecido,lá te espero no procimo almouço, amigo Avelino

  125. jose antonio matias Says:

    Quase há um ano que não visitava esta página e foi com agrado que vi a vinda do Drácula. Bem vindo e aparece em Pernes no dia 10 de Maio para o convívio dos Fantasmas. Um abraço a todos.

  126. joel viola pacheco Says:

    Camaradas da ccav3568.
    Faz hoje, 42 anos,. Éramos jovens, pouco ou nada esclarecidos com a realidade que fomos encontrar, mas enfiaram-nos num avião i lá chegamos á Guiné.
    Hoje somos ex. combatentes, somos páis, avõs,somos “cotas”. alguns já aposentados e outros reformados, mas fazemos parte da bela “colheta de 1950.
    Abraços e manga de rounco para todos os Fantasmas.
    27 março 72,cumere,olossato, quinhamel,binta, bijene,guidaje,cumere e combis em brá. 12julho 74.

  127. joel viola pacheco Says:

    Ainda , não chegou á minha caixa do correio, qualquer informação,referente ao local e data do almoço convivio dos Fantasmas no ano de 2014.
    abraços Viola

  128. Abraço camarada Viola ca do Tony

  129. joel viola pacheco Says:

    .Estamos, a cada dia que passa, mais perto do mês de maio.
    E os Fantasmas já estão a ” aparecer”, já cheira ao almoço.
    Em cima o Matias( um forte abraço para ele) refere o 10 de maio como dia do nosso convivio anual, e em Pernes.
    Abraços do Viola.

  130. joel viola pacheco Says:

    Mais uma vez os ex. combatentes portugueses.
    Foram desrespeitados pela classe politica .
    Em Maputo Passos Coelho, homenageou, os combatentes da Frelimo.
    “Esquecendo os corpos dos militares portugueses que estão no cemitério do Maputo.

  131. José Pinto Says:

    Agradeço ao Sr. Joel Viola Pacheco, que informe em que local
    de Pernes é o Convívio da C. Cav. 3568
    Obrigado
    José Pinto

  132. José Pinto, vez no facebok no grupo fantasma da bolanha do olossato e lá está tudo que precisas para lá ir ter.

  133. joel viola pacheco Says:

    José Pinto. O almoço convivio é na TUFEIRA Quinta de Eventos, Cabeço do Livramento,2000-490 pernes.

  134. jose antonio matias Says:

    Este ano em Maio como de costume, não tive o prazer de ir ao convívio dos Fantasmas. Problemas de saúde assim me impediram. E foi la 1ª vez. Desejo que para o ano não falhe pois é o melhor dia do ano para mim. Abraços a todos os ex-combatentes e sejam felizes.

  135. jose antonio matias Says:

    Este ano o almoço da CCAV 3568, “Fantasmas da Bolanha” é no dia 9 de Maio em Castelo Branco, organizado pelo camarada Leitão. Esperemos que haja boa participação com bons momentos de convívio.

  136. Almeida Beja Says:

    Caros Amigos,ex companheiros de armas.Fiz parte da C.Cav 3568,Fantasmas da Bolanha e em conjunto com outros Amigos,estamos a pensar realizar um almoço,em local a determinar,com os interessados ,que tal como nós passaram uma boa parte da nossa juventude no Olossato.Podem contactar para o meu mail afim de conseguirmos mais este objectivo.Abraços

  137. Almeida Beja Says:

    Desculpem esqueci deixar o mail
    almeida.beja@gmail.com

  138. carlos trindade Says:

    euCARLOS TRINDADE ,mais conhecido pelo CARRAPAU de SETUBAL ,da companhia 3568,venho desejar a todos os meus amigos e companheiros um bom NATAL,efeliz ANO NOVO.

  139. carlos trindade Says:

    CARLOS TRINDADE.(OCARRAPAU )O MEU MAIL. carlostrindadevfcgmail.com

  140. carlos trindade Says:

    Corr. e.mail Carlos trindade ( carrapau ).
    carlostrindadevfc@gmail.com

  141. jose antonio matias Says:

    Para todos os ex-combatentes, em especial os da Guiné e os meus camaradas Fantasmas da Bolanha, os meus votos de Boas Festas na quadra que se avizinha com um óptimo 2016.

  142. Joao Bonifacio Says:

    Para todos os ex-militares que passaram pelo Olossato, os meus votos extensivos as vossas famílias de um Ano de 2016 com muita saúde e alegria. Parece que foi ontem, mas o tempo passa. parti do Olossato em maio de 1970 para regressar a Bissau e em fim de comissão. Fui rendido por uma Com de Cavalaria, penso ter sido a 2721 e cujo Capitao viria a falecer em combate por volta de Agosto do mesmo ano. Reconheci a foto no jornal O Seculo e fiquei muito sensibilizado. Ele foi dos primeiros oficiais com quem falei e parece que nos dávamos muito bem, pois ele ate me ofereceu mais uma comissão com ele, e para alem do vencimento de segundo sargento de administração, ele estava disposto a pagar-me extra. Ele não achava que o sargento dele não era competente e trabalhador e ate me disse que não teria problema em manda-lo para um pelotão de cavalaria. Não aceitei porque estava cansado e porque o Cmdt da Ccaç a que pertenci era demasiado exigente. Por outro lado já tinha uma esposa e um filho a espera, para alem da minha situação profissional. O Olossato foi um bom fim para a minha comissão.

    Um Abraço para todos vos.
    ´João Bonifácio
    Ex-fur mil do SAM
    CC2402/BatCaç 2851
    Guine/bissau, Co, Mansaba e Olossato 1968/70

  143. Joel Viola Pacheco Says:

    Agradeço e retribuo os votos do João Bonifácio . É verdade que passados mais de quarenta anos , a Guiné mexe muito connosco . Leio tudo quanto a ela se refere. Todos os dias entro no blog : Ditadura do Consenso do jornalista guineense António Ali Silva.
    Estive no Olossato desde Maio de 72 a Maio de 73 com a CCAV 3568 . Foi um ano muito caro para nós, perdemos dois camaradas .
    Desejo a todos os ex- combatentes na GUINÉ, especialmente os para os Fantasmas da Bolanha, um Ano de 2016 com muita saúde , o resto a gente arranja. Abraços.

  144. jose antonio matias Says:

    Joel, desculpa a retificação mas perdemos três camaradas. Um abraço.

  145. joelviolapacheco Says:

    Era bom que só houve-se a lamentar a perda de dois amigos e camaradas. Mas de facto foram três as baixas sofridas. Um forte abraço para ti Matias.

  146. Sou da Cart 1660, 1967/1968. Estive no Olossato em fins de 1967. O melhor que tinha o Olossato era não ser necessário o uso de mosquiteiro para dormir já que não havia as fatídicas melgas que polulavam em quase toda a Guiné. Fizemos uma operação a Morés tendo capturado depois de ferido um elemento do PAIGC e capturado a sua arma. Um grande abraço para todos os que estiveram na zona do OIO. Mansoa, Bissorã, Portugol, Braia, Infandre, Jugudul, Cutiá e outros destacamentos da zona.

  147. José António Matias Says:

    Em Olossato 72/73, usavamos mosquiteiro. CCAV 3568, os Fantas
    mas da Bolanha. Dia 14 em Santa Maria da Feira, vamos de novo confraternizar no habitual almoço anual. Abraços para todos os ex-combatentes.

  148. Um abraco para todos os amigos Fantasmas DaBolanha!!!!!!!!!!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: